Após as obras, sonhos tornam-se reais.

por Robe Alves.

Quando começamos a discutir o planejamento desse apartamento, muita coisa veio em mente – antes de qualquer coisa era uma nova possibilidade projetual pra mim e por ser o apartamento de minha melhor amiga, o estímulo à criatividade e experimentação do novo eram palpáveis. Paralela a essa oportunidade, era um momento único de conquista para minha amiga: seu primeiro apartamento. Realização de um sonho antigo e conquistado com muito esforço.

O apartamento escolhido está localizado no centro do Recife. O que corrobora para o perfil dinâmico e proativo da proprietária. Logo, esse espaço deveria imprimir esse perfil “urban style” da nova moradora. Entretanto, muitas intervenções precisavam ser feitas, pois as condições de desgaste e descuido estava evidente nas infiltrações e sujeira.

O primeiro passo seria definir o estilo da decoração: uma pegada industrial e moderninha – com materiais evidentes e cores mais sóbrias. A propósito, foi um projeto fácil de definir, pois além de conhecer bem a cliente, ainda era meu estilo preferido.

Num segundo momento, o layout precisava ser definido. Um “kitnet” de 47m² – datado da década de 80 – é um bom espaço a ser trabalhado. Com um quarto confortável, um banheiro enorme – nesse período tínhamos bidês, uma sala com varanda bem espaçosa e uma cozinha pequena. Então começa o trabalho para harmonizar esses espaços.

Primeira intervenção foi abrir a cozinha para a sala, pois queríamos que a percepção espacial da cozinha aumentasse e com isso a tornaríamos mais arejada. Aumentamos a bancada de granito para que o espaço para quem cozinhasse foi bem funcional, com móveis planejados e pensados para atender a dinâmica da moradora.

Outra solução interessante foi diminuir o banheiro, uma vez que tínhamos espaço sobressalente, e abrir para a cozinha. Criamos agora uma área de serviço, disfarçada com a mesma marcenaria da cozinha. Nessa área colocamos uma bancada de granito com uma pequena pia, ligação para o botijão de gás, máquina de lavar e despensa para materiais de limpeza. Uma solução excelente para apartamentos pequenos, que precisam de lugar para itens essenciais e que não devem estar à mostra.

Na sala, escolhemos um porcelanato cimentício para o piso, para dar essa ideia de cimento queimado, e na parede atrás do sofá – um porcelanato com referência ao tijolo aparente, as outras pintura no tom cinza e para disfarçar o pilar com um espelho de piso a teto, que foi providencial para aquela olhada final no “look” antes de sair para a balada.

Os móveis seguiram a mesma pegada do estilo industrial, algumas peças assinadas – como as cadeiras Charles Eames – e banqueta Arame do designer Gustavo Engelhardt. Os objetos de decoração arrematam o projeto e  trazem toda a identidade de viajante da moradora  – com  peças afetivas adquiridas ao longo de várias viagens pelo mundo.

A moradora que sempre foi uma pessoa acolhedora, agora possui um apartamento bem confortável e bonito para receber. Hoje o apartamento tornou-se o ponto de encontro dos amigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *